segunda-feira, 13 de abril de 2015

Tarô e Cartomancia




Tarô e Cartomancia

O período que cobre o fim do século XVIII e o início do século XIX foi propício aos profetas e adivinhos na França e em outros lugares, em razão das incertezas políticas e do agravamento da crise econômica. Existe como efeito uma vasta produção de estampas que datam do século XIX que representam cenas de adivinhação popular que atestam a utilização da cartomancia.
O arquétipo de uma velha mulher, geralmente cigana, que prediz o futuro, próxima a uma encruzilhada e que habita uma casa cercada de aparatos mágicos.
Embora que a arte de adivinhação foi praticada no fim do século XVII, somente no século XIX que as cartomantes se multiplicaram graças as espantosas revelações de Court de Gébelin, de Etteilla e dos grupos ocultistas.
Entre os inúmeros adivinhos da época, não podemos  esquecer  Mme Lenormand, cuja fortuna foi obtida por saber usar sua imagem pública.
Ao longo de toda a sua carreira Mme Lenormand viu desfilar em seu salão, personagens do gabarito de Rosbepierre,Marat,  Danton, Napoleão Bonaparte e ficou confidente da Imperatriz Joséfhine.
A Sibila dos Salões, como era chamada, foi imitada por inúmeros adivinhos que pretendiam serem seus alunos e discípulos da ilustre Sibila. Daí criou-se novos baralhos de cartomancia baseados no Tarô Egípcio de Etteilla .
Por volta de 1850, à divinação por meio dos tarôs, tornou-se uma técnica adivinhatória extremamente popular na Europa inteira. E nessa mesma época o renascimento das filosofias esotéricas, voltou a dar um novo vigor a artes mágicas e a cartomancia em especial.
A divulgação desta prática em todas as classes sociais foi acompanhada de uma vasta produção industrial para atender a grande expectativa do público. No século XIX   foram impressos na França, na Alemanha e na Itália, uma centena de baralhos, que tinham pouca ligação com o Tarô, tinham mais haver com a interpretação de sonhos e com a Cabala.
As cartas conservaram seu  vigor, com exceção dos tempos de guerra.
As cartas podem parecer irracionais para um sociólogo, mas nós sabemos que elas testemunham uma necessidade constante, de que se precisava ter certeza dos fatos nesta época da História Ocidental.
Além do aspecto de previsão, devemos levar em conta a dimensão artística de vários pintores e artistas que deixaram registradas a sensibilidade de uma época.

 Fonte – Copyright Andrea Vitali, Historien et iconographe du Tarot

Nenhum comentário: