sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O Eremita


Apesar do Eremita ser uma figura muita humana que pisa o chão segurando uma lamparina que ilumina o seu caminho e que permite descobrir suas próprias verdades, o peso da imagem arquetípica pode estraçalhar a viagem do jovem herói fazendo com que ele se retire da vida, das pessoas. O eremita pode ser encontrado nas praças públicas, com os olhos distantes e vazios de qualquer estátua, petrificado e excluído da humanidade e da responsabilidade humana normal. O personagem arquetípico do Eremita é sobre-humano. Quando trocamos o barrete do Louco pelo capuz e carranca do Eremita, o resultado é muito triste, viramos o homem oco, com medo de fazer link emocional. A harmonia do Velho Sábio está em retirar-se do mundo em um momento de impasse e depois dar um passo a frente.
Um outro problema do Eremita é : Se não consiguires de ti mesmo, aonde irá buscá-lo? Muitas vezes entregamos a nossa introvisão a algum guru - seja líder político, praticante de algum culto, psícologo e teremos perdido a nós mesmos, a nossa identidade cultural e a nossa própria humanidade.

Caminho difícil esse do Eremita, carta tão amada pelo tarólogos como disse Nei Naiff no último encontro aqui em casa. 

Amando madrugar e me inteirar do conhecimento de Sallie Nichols.

Nenhum comentário: