sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A Imperatriz

A Imperatriz - Tarot Rider - Waite

A Imperatriz

Símbolos: um vestido decorado com romãs, uma coroa de estrelas, um bastão, um escudo em forma decoração com o símbolo de Vênus, um campo de trigo.

História: tendo decidido qual aspecto seu futuro irá tomar, o Louco segue em frente. Contudo ele está impaciente para fazer de seu futuro uma realidade.Então ele encontra a Imperatriz. Cabelo dourado como o trigo, uma coroa de estrelas, um vestido branco pontilhado com romãs. Ela descansa em seu trono cercada por grãos abundantes e um jardim exuberante. Possivelmente ela está grávida*. Ajoelhando-se, o Louco conta a ela sua história. Ela retribui com um sorriso maternal e gentilmente lhe dá o seguinte aviso: “Uma nova vida, um novo amor, uma nova criação, é frágil como um grão recém - plantado ou uma criança ainda no útero. Requer um solo fértil, paciência e cultivo, necessita de amor e atenção. Apenas essas coisas farão com que se realize”.

Finalmente entendendo que seu futuro levará tempo para ser criado e construído, o Louco agradece à Imperatriz e segue seu caminho.

*Grávida: no Tarot de Rider-Waite ela não aparece grávida, mas em baralhos mais antigos sim. É um símbolo apropriado para esta carta.

Significado: a Imperatriz é uma criadora, seja de vida, romance, arte ou negócios. Enquanto o Mago é a centelha primária, a concretização da idéia, e a Papisa é aquela que dá forma à idéia, a Imperatriz é o útero onde a idéia gesta e cresce até estar pronta para nascer. Por isso seu símbolo é Vênus, deusa das coisas belas e do amor.

No entanto, a Imperatriz está mais para Demeter, deusa da abundância, do que para a sensual Vênus. É ela quem fornece as dádivas terrestres, mas ao mesmo tempo pode reter essas dádivas furiosamente, como Demeter fez quando sua filha, Perséfone, foi raptada. Em fúria e tristeza, ela manteve a Terra árida até sua criança voltar para ela.

Observações: a carta da Imperatriz é um dos arcanos mais fáceis de se interpretar.

Ela é a mãe. Geralmente é a mãe no bom sentido, paciente, amorosa, doadora,generosa. Se for definida como o consulente, pode-se dizer que a pessoa está se sentindo como se fosse uma mãe no momento, preocupada com suas crianças; novos negócios, novas criações, novos romances. Homem ou mulher, preocupa-se e quer resolver cada pequeno problema. Se for uma pessoa relacionada ao consulente, bem, provavelmente é sua mãe, ou alguém que age como tal.

É claro, a Imperatriz pode ter os piores aspectos da mãe protetora: não sabe respeitar a liberdade, é sufocante, possessiva e tem ciúmes daqueles que querem levar seu “bebê” embora. É importante lembrar ao consulente que uma planta pode morrer por excesso de água tão facilmente quanto por falta dela.

A carta diz ao consulente que se ele quer que seu novo romance, nova carreira, novo negócio ou nova criação se desenvolva totalmente, ele tem que ser atencioso, mas tem que deixar que dê os primeiros passos sozinho, quando chegar a hora. Acima de tudo, como qualquer mãe grávida ou bom jardineiro, tem que ser paciente. Todas as coisas necessitam de tempo para gestar e florescer.


Bibliografia: Tradução do site : http://www.aeclectic.net/tarot/ 


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A Sacerdotisa, A Papisa

A Sacerdotisa - Rider-Waite Tarot

Símbolos: as cores azul, branco e preto, romãs, coroa da lua de Isis, véu, cruz solar, lua crescente. Lótus preto e branco, pilares (B representa Boaz, significando negação, J representa Jachin, significando começo). Pergaminho com a palavra Tora (podendo ser o Torah Judeu ou um anagrama da palavra Tarot, com a ultima letra escondida).

História: seguindo sua jornada, o Louco encontra uma bela e misteriosa dama coberta com um véu, sentada em um trono entre dois pilares. Ela é o oposto do Mago: quieta enquanto ele é eloqüente, imóvel enquanto ele está em movimento, sentada enquanto ele está em pé, envolvida pela noite enquanto ele se expõe ao brilho do dia. Ela é a Papisa e surpreende o Louco, sabendo tudo sobre ele. Mais, ela sabe quais ferramentas ele carrega em sua trouxa. Ela informa o Louco que sabe como utilizar as ferramentas que ele carrega. Ela pode ensiná-lo, se ele assim desejar. Respeitosamente ele pede a ela que transmita seu conhecimento, o que ela faz em forma de pergaminhos antigos e sussurros suaves. Agora com conhecimento suficiente para tomar decisões iniciais sobre o que quer, onde quer ir e o que irá fazer, o Louco empurra as cortinas e caminha por entre os dois pilares em direção ao seu futuro.

Significado: a Papisa é a carta do conhecimento, do instinto, do sobrenatural, do conhecimento secreto.Ela possui pergaminhos com informações sobre os arcanos, que ela deve ou não revelar a você. A coroa da lua em sua cabeça e a lua crescente a seus pés indicam sua vontade de iluminar o que você não consegue ver, revelar os segredos que você precisa saber para tomar a decisão sobre algum problema ou trabalho, investimento, amor, carreira, família, etc. E, finalmente, atrás dela está a cortina para o futuro. As romãs que decoram a cortina nos lembram de Perséfone, que foi levada à terra dos mortos, comeu seu fruto e tornou-se a única deusa com permissão para viajar e voltar daquela terra estranha.Isso indica que quando você chegar à Papisa você irá aprender algumas coisas muito estranhas. Muito estranhas mesmo.

Observações: se alguma carta representa o tarólogo, essa carta é a Papisa. Uma mulher (ou homem!) de poderes psíquicos, intuição e conhecimentos secretos. Ela pode representar o consulente, que pode estar descobrindo (ou irá descobrir) poderes psíquicos, um grande segredo ou pode estar estudando textos religiosos.
Se ela representa outra pessoa, pode ser uma mulher religiosa, uma freira ou astróloga, uma professora de conhecimentos antigos, ou então uma parenta afastada que sabe muitos segredos de família. Com significado negativo, pode ser uma mulher com tendência a cometer atos passivos de agressividade, ou alguém com uma personalidade fria, imprevisível, volátil, até mesmo assustadora. (Estamos todos pensando isso, então eu vou dizer: uma mulher na TPM).
O que eu acho mais importante lembrar sobre a Papisa é que ela é aquela que pode guia-lo através da parte mais negra da sua vida, ou de você mesmo, até o outro lado.Ela senta entre os pilares da luz e da escuridão, da existência e da negação, crescente e minguante, pois ela, sozinha, sabe o caminho. Ela visitou a terra dos mortos e retornou; ela é todo o conhecimento secreto.

Bibliografia : Imagem : http://www.albideuter.de/html/waite.html 

 Tradução do site http://www.aeclectic.net/taro/

Uma mulher no trono de São Pedro


Cena do filme, Papisa Joana


A Papisa Joana é uma heroína, produto do imaginário medieval

Em torno de 850, uma mulher traveste-se, a fim de seguir o seu amante, que era dedicado aos estudos e prometido  exclusivamente ao mundo masculino e ela própria alcança ótimos resultados neste meio, o que lhe permite transitar  e entrar na hierarquia da Igreja e, por fim, ser eleita papa. Seu pontificado dura dois anos e é interrompido por um escândalo : Joana, que não renunciou aos prazeres carnais, fica grávida e morre , durante uma procissão entre as basílicas de São Pedro do Vaticano e a de São João do Latrão, após dar à luz a uma criança publicamente.

Essa papisa não existiu, é uma heroína imaginária.

Em 1250 e 1550, ela encarnou o medo da mulher difundido pela igreja e incutiu o medo de uma intrusão feminina no meio da própria igreja. Essa personagem é mais uma rejeição do sexo masculino, que afasta a mulher das responsabilidades institucionais e funções sacramentais.

Tiago de Vorangine, autor da Legenda áurea, comenta sobre o horror da poluição feminina do sagrado pela mulher, a respeito da papisa: " Esta mulher, empreende com presunção, persiste com falsidade e termina vergonhosamente. Tal é fato a natureza da mulher, que diante de uma ação a realizar, tem presunção e audácia no início, burrice no meio e passa vergonha no fim... E , assim, está demonstrado claramente que a mulher começou com a presunção, continua com a burrice e termina com ignomínia"

No entanto, a crença na história da papisa, evoluiu, adquirindo aspectos folclóricos  e as lendas a respeito dos papas na idade média.
A Papisa Joana resume a ideia da mulher, dividida ente o bem e o mal, o prestígio e o horror. Uma mistura de bruxa e papisa, que sai da Igreja para entrar na literatura e no imaginário medieval.

A iconografia da papisa desenvolve-se a partir de um duplo registro: a imagem histórica e escandalosa aparece nas miniaturas, nas gravuras e concentra-se na cena do parto. A imagem hierática e prestigiosa passa do carnaval  à alegoria e invade as cartas do tarô.

Visconti - Sforza Tarot
Tarô de Marselha - Nicolas Conver

Para quem deseja conhecer melhor a história da Papisa Joana:



Heróis e Maravilhas da Idade Média - Jacques Le Goff
http://www.albideuter.de/html/visconti-sforza.html




Arcanos Menores - Workshop

Arcanos Menores - Reciclagem e Revisão

Resumo: A relação dos quatro elementos com os quatro naipes. A corte e os personagens. revendo as regras de combinação para o método europeu. Como jogar o método americano e italiano? Quais as diferenças de linguagem? Dicas sobre atemporalidade dos arcanos em relação a pergunta e sua posição no método.

Aprenda, recicle, aplique sua experiência!

Professor : Nei Naiff

Data : 12 de outubro de 2011, quarta (feriado), das 10:30 horas às 17:30 horas
(curso intensivo para profissionais e estudantes - pré -requisito : conhecer os 78 arcanos) 
Local : Espaço Totalidade: Rua Engº Alcides Barbosa, 29
(transversal a Av. Rebouças e próximo da Av. Brasil)
Valor: 255,00 reais ou duas parcelas de 145,00
Inscrições e Informações com Vera Chrystina : (11) 3085-9994) ou no e-mail: veratarot@gmail.com