terça-feira, 28 de junho de 2011

O Peregrino - Louco

O Homem não é o centro da peregrinação, é o seu próprio coração que o guia na jornada. É por isso que ele se afasta de sua terra natal à espera de encontrar o local onde terra e céu se unem - Santo Agostinho

O Louco

É interessante notar que na época do renascimento existia uma dicotomia em relação à loucura. No renascimento, os loucos eram andarilhos, expulsos das cidades. Nas pinturas de Bosch e Durer a loucura é vista como um saber, enquanto que para Erasmo e Brant, a loucura era algo negativo (ignorância, desrazão). O Louco era visto como um profeta, como uma aberração e como um doente que necessitava de cuidados.
Essa dicotomia está bem clara na representação do louco nas cartas do tarô e sua iconografia gerando interpretações distintas entre os tarotiers e estudiosos do tarô.
Das Tarot der Familie Este
Cary-Yale Visconti
Visconti-Sforza Tarot
Tarot de Marseille (Conver - Heron)
Os elementos simbólicos, tais como o cajado no Visconti-Sforza Tarot podem indicar tanto defesa como agressão. As penas em sua cabeça estão relacionadas ao ar (cabeça de vento). O olhar estranho pode também indicar problemas mentais (doença).

O Louco do Este Tarot usa o chapéu com as orelhas de burro e os guizos para entreter as crianças e remete a inocência que o aproxima de Deus.

O Louco do Tarot Cary - Yale segura o cajado com um balão de ar (despreocupação) e é mordido por um felino, que nas imagens posteriores virou um cão. Os mendigos e loucos podiam ser mordidos por animais em suas caminhadas ou quando iam pedir comida, como acontece hoje em dia. Quem tem cachorro sabe que ele ataca quando sente uma presença intrusa em seu território.

E finalmente o Tarô de Nicolas Conver que une todos esses elementos, considerando o Louco, o peregrino de Deus, o buscador, o viajante. Neste caso, a vida pode ser vista como uma peregrinação.


Alguns exemplos dos significados na visão de vários tarólogos:



Arrien — O Princípio da Coragem. Estado de Destemor. Êxtase e Experiência Máxima. Aquele Que Anda sem Medo. A capacidade de dar à luz a novas formas a partir de uma posição de coragem, admiração e antecipação.
Cowie — Completa Todo Movimento pela Fé. Ter personalidade própria porque você acredita no que está fazendo. Andando com a força do amor e das leis do       universo.
Crowley — Ar. Aleph.
Sabe nada!
Todos os caminhos são lícitos para a inocência.
Pura loucura é a chave para a iniciação.
O silêncio irrompe o êxtase.
Nem homem nem mulher, mas ambos em um.
Não fala, Bebê vestido de azul celeste, para que
possas crescer para portar a Lança e o Graal!
Vagar sozinho, e cantar! No palácio do Rei
Sua filha o espera.
Eakins — Tudo é movimento, tudo é mudança. Na cegueira mais profunda está a visão mais profunda. A verdadeira solução para o mistério da vida eterna depende da compreensão que o conhecimento de muitos está contido em um, e o conhecimento de um está contido em muitos.
Fairfield — Experimentar a fé e a confiança absoluta no universo. Nenhuma sensação de preocupação ou medo e nenhuma
consciência que preocupe ou amedronte poderia mesmo existir. Um sentimento de proteção e uma sensação de que tudo funcionará; estar aberto a tudo que o futuro oferece.
Greer — Realização do Poder Eterno. Força espiritual. Regeneração. Natureza paradoxal de sabedoria e tolice. Salto para alguma nova fase da vida. Vagabundo despreocupado. Indiferença divina. Esperar o inesperado com esta carta.
Noble — Confiar no Próprio Duende. O vazio que contém todas as possibilidades. Pura espontaneidade: a despreocupação, o impulso irracional; a onda irreprimível de energia que impele.
Pollack — Em um aspecto, a imagem de um espírito totalmente livre. Nas leituras, coragem e otimismo, incitar fé em si mesmo e na vida. Começar, saltar com coragem para alguma nova fase da vida. Ou a recusa em seguir os próprios instintos.
Sharman-Burke — Uma influência inesperada que em breve surgirá. Poderá haver uma oportunidade inesperada, ou a possibilidade de uma aventura ou escapada. Representa a necessidade de abandono de velhos caminhos e o começo de algo novo e não testado. Qualquer coisa pode acontecer, portanto, prenda a respiração e pule!
Stewart — Inspiração, impulso espiritual. Poderá indicar ingenuidade ou idealismo tolo. Muitas vezes indica momentos de decisão ou grande mudança e oportunidades ocultas em situações aparentemente difíceis. O fator misterioso e libertador que sai da norma.
Waite — O espírito em busca da experiência. O Sol que brilha atrás dele sabe de onde ele vem, para onde vai, e como retornará por outro caminho depois de muitos dias. Insensatez, mania, extravagância, negligência.
Walker — O único Arcano Maior que pode permanecer no baralho padrão, na forma do Curinga. Sugere a pessoa não esclarecida no começo de sua jornada em direção ao esclarecimento.
Wanless — (A Criança) Representa a Criança dentro de nós. A expressão mais próxima e mais natural do universo. O começo sem começo, a fonte sem fonte, o fim sem fim, todas as coisas, e nenhuma coisa. Como o louco, dependente e com compreensão limitada de seu propósito, tendo fé de que o universo tomará conta de você.
Wirth — A pessoa que não possui existência intelectual e mora Sem consciência e irresponsável, ele se arrasta através da vida como um ser passivo que não sabe onde está indo e é levado pelos impulsos irracionais. O Abismo sem fundo. O Absoluto. O inacessível — o que quer que esteja além de nossa compreensão. Tudo é feito de nada e retorna ao nada.
Riley — Silêncio confiante. Receber proteção por meio de sua fé e inocência. Com essa carta qualquer coisa, ou nada, pode acontecer. O Louco é a soma total de todas as outras cartas. Deus é todas as coisas sobre todas as coisas.

TARODICIONARIO E COMPENDIO - Jana Riley - Jorge Zahar