quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Uma mulher no trono de São Pedro


Cena do filme, Papisa Joana


A Papisa Joana é uma heroína, produto do imaginário medieval

Em torno de 850, uma mulher traveste-se, a fim de seguir o seu amante, que era dedicado aos estudos e prometido  exclusivamente ao mundo masculino e ela própria alcança ótimos resultados neste meio, o que lhe permite transitar  e entrar na hierarquia da Igreja e, por fim, ser eleita papa. Seu pontificado dura dois anos e é interrompido por um escândalo : Joana, que não renunciou aos prazeres carnais, fica grávida e morre , durante uma procissão entre as basílicas de São Pedro do Vaticano e a de São João do Latrão, após dar à luz a uma criança publicamente.

Essa papisa não existiu, é uma heroína imaginária.

Em 1250 e 1550, ela encarnou o medo da mulher difundido pela igreja e incutiu o medo de uma intrusão feminina no meio da própria igreja. Essa personagem é mais uma rejeição do sexo masculino, que afasta a mulher das responsabilidades institucionais e funções sacramentais.

Tiago de Vorangine, autor da Legenda áurea, comenta sobre o horror da poluição feminina do sagrado pela mulher, a respeito da papisa: " Esta mulher, empreende com presunção, persiste com falsidade e termina vergonhosamente. Tal é fato a natureza da mulher, que diante de uma ação a realizar, tem presunção e audácia no início, burrice no meio e passa vergonha no fim... E , assim, está demonstrado claramente que a mulher começou com a presunção, continua com a burrice e termina com ignomínia"

No entanto, a crença na história da papisa, evoluiu, adquirindo aspectos folclóricos  e as lendas a respeito dos papas na idade média.
A Papisa Joana resume a ideia da mulher, dividida ente o bem e o mal, o prestígio e o horror. Uma mistura de bruxa e papisa, que sai da Igreja para entrar na literatura e no imaginário medieval.

A iconografia da papisa desenvolve-se a partir de um duplo registro: a imagem histórica e escandalosa aparece nas miniaturas, nas gravuras e concentra-se na cena do parto. A imagem hierática e prestigiosa passa do carnaval  à alegoria e invade as cartas do tarô.

Visconti - Sforza Tarot
Tarô de Marselha - Nicolas Conver

Para quem deseja conhecer melhor a história da Papisa Joana:



Heróis e Maravilhas da Idade Média - Jacques Le Goff
http://www.albideuter.de/html/visconti-sforza.html




Nenhum comentário: