terça-feira, 9 de março de 2010

Quatro de Ouros



Passe um tempo com uma criança de dois anos e em breve ouvirá a voz do Quatro de Ouros: "Não! É meu!" Este é o lamento do ego, que é desenvolvido justamente na  criança. O ego tenta garantir poder pela imposição da vontade. O desejo de controlar é a marca do Quatro de Ouros.

Algum controle é bom. Em situações caóticas, a mão firme é necessária para providenciar estrutura e organização. No entanto, o ato de controlar foge do domínio, reprimindo a criatividade e a expressão individual. Nas leituras, esta carta lhe faz pensar sobre o seu nível de controle da situação.

O Quatro de Ouros pode significar assuntos de posse. Você pode estar envolvido em questões que receberá e guardará dinheiro ou alguma outra mercadoria. Você pode ter problemas com a possessividade ou ciúmes e excesso de zelo. Use a energia desta carta para preservar e defender, mas não para reivindicar. Pessoas necessitam ser livres para determinar suas próprias vidas.

Também implica em bloqueio em mudanças. É como se o homenzinho teimoso e sem ambição na carta anulasse qualquer movimento seu. Contrariedades podem ocorrer para quem tenta manter o status quo, mas também podem se originar em você mesmo. Você está resistindo às mudanças realmente necessárias? Nós freqüentemente nos apegamos ao familiar até quando sabemos que não é o melhor.

A lição do Quatro de Ouros é que o controle é impossível. Nós vivemos no mundo como em um grande oceano. Quem consegue controlar ou se apoderar de tal poder? O único caminho para se sustentar fora da inundação é o percurso da correnteza. O oceano nos suporta enquanto nadamos a favor do fluxo. 

Nenhum comentário: