sábado, 11 de julho de 2009

À morte ninguém escapa





Lengalenga é um texto com frases curtas que normalmente rimam e com muitas repetições que permitem decorá-lo com muita facilidade. Geralmente, as lengalengas estão associadas a brincadeiras e jogos.

À morte ninguém escapa

À morte ninguém escapa,
Nem o rei, nem o papa,
Mas escapo eu.
Compro uma panela,
Custa-me um vintém,
Meto-me dentro dela
E tapo-me muito bem,
Então a morte passa e diz:
- Truz, truz! Quem está ali?
- Aqui, aqui não está ninguém.
- Adeus meus senhores,
Passem muito bem

Ilustração : Rider Waite Tarot

O Anjo da Morte




O Anjo (Poema)
De Onildo Barbosa

Eu sou um corpo invisível
Que percorre o mundo inteiro
Me ver nunca foi possível
Sou honesto e justiceiro
Não sou pobre, nem sou rico,
Aonde chego não fico
Sigo em frente sou veloz
Onde é necessário eu vou
Ninguem nunca me tocou
Nem ouviu a minha vóz.

Sou da idade da vida
Sem regilião nem seita
Minha ação é percebida
Todo mundo me respeita.
Norte, sul, leste e oeste,
Vou como um raio celeste,
À qualquer parte do mundo
Sem pé sem mãos e sem asas,
Visito milhões de casas,
Em menos de um segundo.

Sou como um forte soldado
Nunca perdi prá ninguem
Destruo qualquer reinado,
Onde chego me dou bem;
Juizes e promotores,
Presidentes, senadores,
Capitães e coronéis,
Por mais valentes que sejam,
Ás vezes nem pestanejam
Findam caindo aos meus pés.

Se você não acredita,
Vou descrever minha história
Matei maria bonita ,
No auge da sua glória
Matei antonio silvino,
O coronel zé rufino,
Zé ferreira, lampião,
Depois matei padim ciço,
Prá honrar meu compromisso,
Matei o frei damião.

Matei beta mocinha,
Famosa no ceará,
Irmã dulce, mãe menininha,
Tereza de caucutá,
No nordeste brasileiro,
Matei jakson do pandeiro,
Lindú, (o rei da canção)
Sem deixar outro na vaga
Matei seu luiz gonzaga
O nosso rei do baião.

Fui eu que matei homero,
Confúcio, delcalião,
Matei brama, buda, nero,
Aristóteles e platão.
Matei gregório de matos,
João batista, pilatos,
Alexandre, maomé,
Menelau, pares, helena,
Lázaro, marta, madalena
E a vírgem de nazaré

Prá mim não tem importância
Se você é um doutor,
Um cientista, astronauta,
Ou um simples lavrador.
Homens como:balduino,
Do imperio bizantino,
Calígula, galba, crispim,
Ptolomeu, desidério,
Dário, pompeu e tibério,
Todos tiveram seu fim.

Dei o golpe derradeiro
No balão, rei da turquia,
No papa leão terceiro,
Ricarte de normandia,
O mundo perdeu:solon,
Hércules, agamenon,
A rainha de sabá,
João martim de ataíde
Matei harum-alhachide
Calífa de bagdá.

Centuriões e tetrarcas
Do egito e galileia,
Imperadores, mocarcas
Da arábia e da judeia
Com o meu instinto justo,
Matei carsso, cézar augusto,
Jacó, dalila, sansão,
Cleópatra, justiniano
Arquimedes e trajano
E o velho rei salomão.

Matei mark weyniclark
General americano
A guerreira joana dark
Paulo diácono e urbano
Entrei na idade média,
Lí a divina comédia
Que aliguiery escreveu
Deopis que dei minha prova
Seu corpo foi para a cova
E a obra para o museu.

Rómel foi intitulado
A raposa do deserto,
Foi totalmente esmagado
Na hora que cheguei perto.
Matei hítler, mussoline,
Depois wálter avancine,
Tirou seu nome do mapa
O mundo não tem sossego
Porque na hora que eu chego,
Quem tem vida não escapa.

Eu mato as flores do mato,
Mato bicho mato gente,
Mato papa, presidente
Tudo que tem vida eu mato,
Pode ser; meigo pacato
Provinciano matuto
Mato o manso, mato o bruto
Mato quem rir e quem chora,
O tempo me diz a hora
Eu vou lá e executo.

Rntre golpe e imprevisto
Foi prá mim o mais profundo
Quando eu matei jesus cristo
Abalei a paz do mundo
Por isso eu vim lhe pedir
Para vc. dividir
O pão com quem precisar
Quando eu aqui voltar,
Você não será tão forte
Porque meu nome é a morte!!
Meu compromisso é matar.

Ilustração: Arcano XIII - Morgan-Greer Tarot