domingo, 6 de setembro de 2009

Dois de Espadas




No Dois de Espadas vemos uma jovem com uma barreira de espadas atravessadas em frente ao coração. A rígida postura nos mostra seu esforço para guardar os sentimentos sob controle. Ela se ressente de qualquer aproximação externa. "Nada entra e nada sai", parece dizer.
Esta carta fala sobre barreiras que colocamos entre nós e os outros e aquelas que criamos dentro de nós mesmos. Internamente, nos fechamos para as emoções e nos recusamos a senti-las. Evitamos enxergar a verdade e fingimos que tudo está bem. Pensamos de um jeito, ma sentimos de outro. De várias maneiras, tentamos manter nossas facetas mesmo quando sabemos que precisam ser reconciliadas.
Nas leituras, freqüentemente aparece quando você não quer aceitar a verdade sobre a situação atual. O que está realmente sentindo? Está evitando sentimentos delicados com medo de se machucar? Fica furioso mesmo quando sorri? Recusa-se a enxergar? Note que a mulher está de olhos vendados - não consegue ver a verdade, nem mesmo admite que está com problemas.
A barreira mais comum é um coração fechado. Quando amputamos as emoções, cortamos a conexão que faz com que nosso amor flua para fora. Algumas vezes essa ação é necessária, mas tem um preço alto. Sempre que fechamos o coração, temos maior dificuldade para abri-lo novamente. Outra barreira é uma situação de beco sem saída. Quando dois partidos estão a postos – amputando-se – há um empate. Para rompê-lo, os “oponentes” devem sair de trás das espadas e ouvirem-se. A lição desta carta é que tal barreira não é a resposta. Devemos permanecer abertos se quisermos encontrar a paz e a perfeição.
Tradução: http://www.learntarot.com/
Ilustração: Taroteca :http://taroteca.multiply.com/photos/album/66/Lyod_Morgan_Norbert_Losche#photo=75.j

Nenhum comentário: