sábado, 11 de julho de 2009

À morte ninguém escapa





Lengalenga é um texto com frases curtas que normalmente rimam e com muitas repetições que permitem decorá-lo com muita facilidade. Geralmente, as lengalengas estão associadas a brincadeiras e jogos.

À morte ninguém escapa

À morte ninguém escapa,
Nem o rei, nem o papa,
Mas escapo eu.
Compro uma panela,
Custa-me um vintém,
Meto-me dentro dela
E tapo-me muito bem,
Então a morte passa e diz:
- Truz, truz! Quem está ali?
- Aqui, aqui não está ninguém.
- Adeus meus senhores,
Passem muito bem

Ilustração : Rider Waite Tarot

2 comentários:

Sónia Alcobaça disse...

Por palavras de uma pessoa da família já com muito para contar, gostava de deixar aqui a sua versão de infância desta lenga-lenga:

A morte é negra e feia,
a ela ninguém escapa,
nem o Rei, nem o Duque,
nem o Papa.
Mas escapo eu!
Vou ao Grandela,
compro uma panela,
que me custa um vintém,
meto-me dentro dela
tapo-a muito bem
e a morte ao passar diz:
"Aqui, aqui não está ninguém."
Boa tarde, meus Senhores,
e passem muito bem.

Vera Chrystina disse...

Cara Sónia,

Muito obrigada pela sua contribuição.
As lembranças das pessoas com muito para contar, acrescentaram a importância das lengalengas.

Um beijo e tudo de bom!