sexta-feira, 29 de maio de 2009

A Torre e sua história






O temido arcano XVI sempre me intrigou. Pesquisando sobre o Tarô, encontrei um texto de Helen Farley, que menciona a família Della Torre, como inspiração para o Arcano XVI.
A frase curta de Helen pareceu-me legítima e verdadeira. Existem tantas referências ao Arcano XVI, tais como Torre de Babel, A Torre Fulminada, A casa de Deus, etc...
Intrigada, fui pesquisar na história, a melhor fonte para se entender o tarô do que os manuais ocultistas e suas analogias.
A família Della Torre era de origem milanesa e no século XIII foi governante de Milão.
Martino Della Torre se tornou senhor perpétuo e foi sucedido por Napoleone Della Torre, entre os anos de 1265 a 1277. Como na vida tudo tem começo, meio e fim, o anseio da família Della Torre (Torriani) continuar no poder foi despedaçado e o que era um sonho, tornou-se pesadelo, com a nomeação em Arcebispo de Milão, um membro da família rival, os Visconti, em 1262.
A família Della Torre ficou no poder durante quinze anos lutando com todas as suas armas, contra a tomada da posse de sua Sé Arcebispal, mas, foram derrotados pelos Visconti em Desio em 1277 e em 1281, perto de Vaprio.
Após um breve exílio, os Torriani regressaram a Milão (1302) e em 1308 já haviam se restabelecido, tendo Cassione Della Torre como arcebispo e Guido Della Torre como senhor perpétuo, mas, não sobreviveram à chegada do Imperador Henrique VII à Itália. Após a frustrada Revolta Torriani de 1311, sufocada pelo Imperador e pelos Visconti, Matteo Visconti, foi nomeado vigário imperial em Milão, e os Torrioni nunca mais voltaram à cidade.
Vocês têm alguma dúvida sobre a simbologia do Arcano XVI?
Eu não e me sinto aliviada...
Nada como a história para elucidar fatos!
Fontes: J.K. Hyde – Society and politics in Medieval Italy (1973)
M. Mallet – Mercenaires and their masthers (1974)
Dicionário da Idade Média – Jorge Zahar Editor
Ilustrações: Visconti Tarot (US Games)- Cary-Yale Visconti

2 comentários:

Arierom Salik disse...

Vera:
Penso que as enigmáticas imagens do nosso Tarô, a cada pesquisa, estudo que encontramos nos aponta ser serem relatos da Europa medieval/moderna.
Como um pequeno gibi iconográfico de uma época.
Percebi recentemente que o Arcano XIII pode estar fazendo alusão ao período da Peste Negra por exemplo, ao ler sobre a Idade Média seus períodos e fatos. E o quanto pode ser o Tarô um jornal de ontem, um livro dessas realidades passadas.
Só a boa e velha pergunta me sonda minhas vãs reflexões:
"Em que ponto da História as Cartas começaram a ser utilizadas como oráculo?"

Em meus achismos creio pelo parentesco que possuem com o baralho comum, que me leva a "achar" que o Tarô é reflexo tardio da cartomancia com baralho comum, que também não se sabe quando começou, o porque até imagino. Analiso como sua expansão e evolução.
Pois em comparação, imagens falam muito mais que quantitativos de elementos em quatro Naipes, que vieram a ser somadas a Ele então.

Adorei o post, pois vai ao encontro com minhas leituras mais recentes.
Parabéns e um beijo.

Vera Chrystina disse...

Oi Arierom,
Exatamente como você disse, o tarô é um pequeno gibi iconográfico. O Arcano sem nome, tem tudo haver com a peste negra.
Quanto ao começo da divinação é difícil verificar, mas Etteilla foi sem dúvida nenhuma, um grande propagandista da divinação.
Muito obrigada pelo carinho de sempre!

Um beijo!