sexta-feira, 17 de abril de 2009

Decifrando o Passado: Segredos das cartas do Baralho





O documentário explora o processo histórico do Tarô.Começa dizendo que as cartas são usadas para jogos, para mágicas e para previsão e que também estão incluídas no misticismo e nos mistérios com sua simbologia.
Alguns historiadores acreditam que a origem das cartas começa na China, há 800 anos atrás, já que os chineses conheciam o papel e a impressão.
A origem egípcia das cartas podem ter referência aos mamelucos que invadiram o Egito e o dominaram.As cartas mamelucas possuíam os quatro naipes e eram jogadas pela aristocracia . O naipe de paus era relacionado ao Polo, esporte preferido dos mamelucos.
Um outro ponto interessante do documentário é que uma invasão de cartas surge em toda Europa. Em 1377 o baralho surge na Suíça. Os historiadores acreditam que os soldados dos exércitos foram os grandes divulgadores das cartas, já que elas cabiam em suas mochilas, não ocupam muito espaço e davam o prazer da jogatina em tempos de guerra.
As cartas viajaram até a América do Norte e chegaram até os indios que não tinham o conhecimento do papel, mas deixaram cartas gravadas em couro.
As cartas que surgiram na Europa (Itália e Espanha) tem a influência das cartas mamelucas.Na Alemanhã, os naipes foram substituídos pelas imagens rurais: nozes, folhas, faisões...
Na França os símbolos da cartas começaram a ficar mais simples, só com duas cores, uma medida econômica, mas impressas com papel de melhor qualidade.Foi um sucesso!
Um outro ponto interessante é que as cartas do século XV, devido a cultura e os costumes não possuíam Rainhas.O baralho era composto por quatro naipes e 52 cartas e a corte era composta por um Rei e dois marechais.As Rainhas foram incluídas nos baralhos franceses, e é óbvio o porquê.
No final do século XIV as cartas dominaram todas as classes sociais na Europa e é claro que surgiu a intervenção, cobrando impostos e punição de morte. As cartas começaram a virar febre e vício.Os nobres utilizam cartas mais requintadas, pintadas a mão, porém depois da impressão, as cartas ficaram acessíveis a todas as classes e assim mais baratas. Um passo para os jogos de azar.
No século XVIII as apostas eram feitas em dinheiro e claro que isso começou a perturbar o clero.Começam os sermões contra o jogo.
Jogos de azar, muita bebida e trapaças, envolvem as cartas numa aura maligna.Muita bagunça e vício.A Alemanha começa a multar aqueles que jogam e no século XVI, Henrique VIII reclama que os jogos de cartas atrapalha o treino de seus arqueiros .Não é para menos!
No século XVII Carlos I cria a Real Companhia de Cartas de Baralho e cobra um imposto , que hoje equivaleria a cinco dólares.Tudo o que vicia o homem tem taxas e impostos e isso vigora até hoje!
Ele cria um selo com o símbolo do Ás de Espadas. Os falsificadores de cartas precisavam sobreviver e um deles, descoberto, foi morto, daí a idéia do Ás de Espadas significar perigo e morte!
Os impostos aumentaram e para comprar um baralho era necessário desembolsar na época , o que equivale hoje à 25 dólares.
Um outro dado interessante é que na Europa, o verso das cartas era utilizado de vários modos, já que um só lado delas era impresso. Serviam para pagar alimentação e fazer trocas de bens de consumo. Na Bélgica , os soldados pagavam suas hospedagens e comida nas estalagens, com o verso das cartas de baralho, o primeiro cartão de crédito!
Na Holanda, mulheres que não podiam cuidar de seus filhos, os deixavam nas portas das igrejas com uma carta de baralho e no verso branco das mesmas, escreviam suas mensagens de despedida e conforto aos filhos que não podiam cuidar por conta da guerra.  Escreviam o nome da criança e um comovente pedido, solicitando socorro aos seus rebentos.Elas também criaram um código: a carta rasgada significava que um dia, em melhores condições, voltariam para buscar seus filhos.A carta inteira era clara: não voltariam jamais!
As cartas sempre relatam dramas humanos....
No século XVIII as cartas tinham plena aceitação popular na jogatina, porém, criaram uma curiosidade sobre suas origens desconhecidas e claro que incentivavam a busca de seus significados.Começam as confusões e as associações.Começava a busca de um significado para aquele número.
O cortéx cerebral quer achar significado em tudo...
Um soldado do século XIX diz a um padre que as cartas de Tarô são a sua Bíblia e cria suas próprias significações ocultas para as mesmas.Ele diz:

O Ás significa um só Deus
O Dois: Pai e Filho
O Três: a Santíssima Trindade
O Quatro: Os quatro Evangelistas
O Cinco : As cinco virgens sábias
O Seis : os seis dias que Deus criou o Mundo
O Sete: dia em que Deus descansou
O Rei: o grande Rei,Nosso Deus
Começam as especulações que as cartas são um código secreto da Maçonaria, já que os maçons comunicam-se em códigos.O fato do Valete de Copas possuir uma acácia, a acácia é símbolo da Maçonaria, traz a dúvida e investigação. As rosas nas Rainhas evocam o símbolo da Rosa Cruz.O Rei de Copas com quatro braços remonta a Amôn e volta a onda do Egito...A confusão está criada e pior perdura até hoje...
O Tarô acabou por fascinar aqueles que buscavam em sua numeração conselhos para o futuro.
Filipo Visconti cria um bélissimo tarô pintado a mão.
Os 22 arcanos maiores do tarô eram denominados trunfos, ou seja serviam para vencer as cartas normais e não fazer previsão.Foram criados para jogar Bridge e totalizaram 78 cartas.
Muitas lendas foram criadas em torno do Tarô: templários e seu código secreto, crenças alheias do Oriente, Cabala, Alquimia, Magia, Ciganos.Na verdade o tarô é o pensamento do homem renacentista.
Surgem nas cartas Baphomet ( não O Diabo) , A Torre e o Pendurado.Os italianos conheciam bem a carta do Pendurado: a traição ao estado era sinônimo de tortura.
Surge Etteila, primeiro cartomante profissional e cria seu Tarô Corrigido, volta as raízes egípcias e cria nas cartas a inversão das mesmas para leituras e previsões. Por exemplo : O Arcano 15, ele denominava de força e poder e invertido modifica o seu significado. Interessante que a inversão serviu para dar mais complexidade a um mesmo arcano e assim aumentar suas significações, um recurso para a cartomancia no sentido de previsão.
Gebelin também tinha fascínio pelo Egito e cita o Livro de Thot (não existem provas) e Levi faz uma ponte com as 22 letras hebraicas.Começam as analogias e cada um vê o que quer e acrescenta o que quer...
Waite lança o seu primeiro baralho (1910) com a intenção de popularizá-lo. Na verdade sua intenção era agradar tantos os ocultistas como as cartomantes.Waite permitiu que o tarô ficasse mais acessível
Depois de Waite, surge Crowley com um tarô mais taciturno e ocultista e a idéia era chocar os padrões da época, claro que para não ser esquecido.
E assim o Tarô popularizou-se como cartomancia, linguagem secreta ocultista, cartas bonitas para jogar bridge e enfim tornou-se um guia , um mapa, já que possui em suas lâminas o reflexo da natureza e sociedade humana. Tornou-se um guia espiritual.


Bem pessoal é só um resumo para aqueles que não assistiram o documentário.Desculpem-se alguns erros na elaboração. A idéia é apenas compartilhar com aqueles que perderam o programa!

Nenhum comentário: