terça-feira, 16 de setembro de 2008

Túmulo de Mme Lenormand







Recebi de um grande amigo as fotos do Túmulo de Mme Lenormand.Ela está sepultada no Père Lachaise em Paris.





Mademoiselle Marie-Anne-Adelaïde LeNormand ou Mlle. Lenormand, foi uma cartomante francesa, de grande renome, que também exercia, além de outras artes divinatórias, quiromancia.Teve entre suas clientes Josefina de Beauharnais, esposa de Napoleão Bonaparte. Ela teria previsto, segundo a aura de magia que cerca seu nome, a ascensão e queda do imperador Napoleão, os segredos da imperatriz Josefina e o destino de muitos notáveis de seu tempo.
Lenormand nasceu em Alençon, na Normandia, segundo ela no dia 27 de maio de 1772,Père Lachaiseembora os documentos originais indiquem 16 de setembro de 1768. Perdeu seu pai quando tinha apenas um ano de idade e, a seguir, sua mãe, aos 5 anos. Foi enviada a um convento, de onde surgem os primeiros relatos de seus dons de clarividência.
Estabeleceu residência, em Paris, no turbulento período que se seguiu à Revolução Francesa e, nessa cidade, consolidou sua fama de advinha, de leitora da sorte.
Em 1807, Mlle. Lenormand leu as mãos de Napoleão e descobriu sua intenção de se divorciar de Josefina. Para afastá-la de cena, ele a mandou à prisão, em 11 de dezembro de 1809, onde a vidente permaneceu durante doze dias, enquanto ele providenciava o divórcio. Esse fato foi o verdadeiro lançamento de sua carreira e ela se tornou a cartomante mais popular de sua época.
Ativa e desembaraçada, escreveu perto de trinta livros, que continuam inéditos até hoje.
As informações sobre elas são por vezes contraditórias. É tida como boa estimuladora de outras cartomantes, mais ou menos famosas. Por outro lado, alguns de seus detratores, entre os quais se encontram jornalistas contemporâneos, sustentam que sua lista de clientes eminentes era fruto da fantasia da "Sibila de Alençon" e que suas pretensas profecias eram sempre post-factum...

Em 25 de junho de 1843, aos 74 anos de idade, foi enterrada em Paris, no cemitério Père Lachaise. Alguns críticos disseram que seu maior dom era a habilidade de amealhar riquezas. De fato, por ocasião de sua morte, deixou uma grande soma de dinheiro.


O baralho da "Sibila de Alençon" foi inicialmente publicado em 1828 e compreendia 52 cartas, as mesmas do baralho comum. Esse conjunto foi redesenhado e reduzido a 36 cartas por volta de 1840, presumivelmente pela própria Mlle. Lenormand, à cargo da casa impressora Grimaud.
O conjunto menor, de 36 cartas, ficou conhecido como o Pequeno Lenormand. Esse "tarot", na verdade, consiste de uma utilização parcial de 9 cartas de cada um dos quatro naipes do baralho comum, num total de 36 cartas. Ela utiliza apenas o Ás e as cartas numeradas de 6 a 10 e, no caso das figuras, deixa o Cavaleiro de lado, como acontece, em alguns casos, com as cartas de jogar utilizadas na França nos últimos três séculos.

Fontes:


www.giordanoberti.it/html/articoli_lenormand.htm
http://cartomancie.exoteric.fr/le-petit-lenormand/rubrique268.html
http://www.dotpattern.com/gamecard/tarot/index.html
http://www.clubedotaro.com.br/site/h23_19_lenormand.asp
Marcadores: cartas, Mme Lenormand, Petit Lenormand

Um comentário:

Adash - Tarot Urbano - disse...

Oi Vera,

Essas fotos me lembraram que em Caxias do Sul, no cemitério municipal, havia um túmulo de uma menina "cigana", que morreu jovenzinha, criança. E a ela eram atribuídos certos "milagres", ou pedidos que as pessoas faziam pra ciganinha. O túmulo dela era assim, cheio de flores, de brinquedos, de doces, de coisas de menina, como forma de agradecimento...

Mundo estranho!


Abração!

Adash