sexta-feira, 6 de junho de 2008

O Eremita


É de máxima necessidade para que se possa aprender o domínio da nossa mente, manter períodos de retiro espiritual, retirar-se das habituais atividades pessoais para a solidão. Esses retiros podem durar apenas um dia ou até um final de semana. Também pode estender-se por um período de tempo maior. Não se pode predeterminar ou prescrever o período, mas se você estiver progredindo, com certeza irá sentir, uma ou outra vez, um premente impulso interno para fugir dos estorvos de constante absorção da vida diária. Com certeza você já ouviu alguém dizer - ou quem sabe até você mesmo - "Eu daria tudo para poder ficar pelo menos um mês afastado de tudo". Isso é uma espécie de pressão, de um impulso interno; um desejo espiritual por desenvolver-se. Sempre que possível, devemos aproveitar uma oportunidade que se apresente, ou melhor ainda, nos esforçar por criá-la, ainda que apenas por algumas horas.

Os homens se tornaram tão empenhados na vivência material, na luta por ganhar a vida, e no estonteante ambiente das grandes cidades em que são forçados a morar, que durante o último meio século se tornaram cada vez mais obsedados por seus corpos materiais. O trabalho, as condições de vida em geral, e os prazeres se tornaram tão definitivamente materiais que o relaxamento, num sentido espiritual, se tornou uma pronunciada exceção. Mas na Ásia e algumas partes da África você encontrará o inverso. As pessoas tomam por obrigação dispor de tempo para relaxar por motivos religiosos e espirituais. Eu falo das massas. Elas compreendem que não devem apenas ganhar a vida, mas também devem manter a vida! Não é uma questão de você ficar atarantado pela condição da sua alma, mas de obter uma visão mais clara do que realmente você é. Você não precisa entrar para um mosteiro - o mundo de hoje é o seu mosteiro, e as lutas da vida diária constituem a disciplina monástica; não é o que você faz, mas como o faz; não é sentar-se num lugar sossegado o que realmente importa, mas sentar-se no centro de seu próprio ser. O sábio pode fazer da vida do mundo o seu próprio lugar sossegado e das atividades no mundo os seu meio de libertação.

É nas ocasiões de retiro que você pode realmente relaxar e dirigir sua mente para canais espirituais. Se você mora numa cidade barulhenta, procure sempre que possível escapar para a quieta solidão da Natureza. Submeta-se às impressões que lhes vêm do novo ambiente. Se você procura orientação para um problema particular, com certeza, você o encontrará mais facilmente.

Mesmo que você seja apenas um humilde servidor, impossibilitado de escapar mais que uma ou duas semanas durante o ano e mais do que algumas horas por semana, você pode, no entanto, colher fartamente do emprego certo até de curtos períodos de retiro. Não é tanto uma questão da extensão de tempo que você tenha à sua disposição. É necessário fazer uso destes retiros, acima de tudo, para completo esquecimento dos seus afazeres pessoais. Desta maneira você prepara uma atmosfera adequada para que a alma impessoal da Natureza conceda certo grau de iluminação.

O passo seguinte, durante o período do seu retiro, é buscar o mais possível pela solidão. Evite locais com pessoas em demasia. Cada pessoa que você encontra se torna uma fonte de distração e diversão do seu objetivo, a não ser que se trate de alguém de superior estatura espiritual. Cada indivíduo está circundado de uma atmosfera que ele carrega para onde vai; mesmo que invisível, essa atmosfera não deixa de ser tão real que sob certas condições poderá ser registrada por instrumentos científicos. Definitiva, mas temporariamente, esta atmosfera pessoal influencia outros, pelo menos alguns, que entrarem em contato com ela. Uma vez que a maioria das pessoas do mundo é inclinada para objetivos outros que não os mais elevados que a Natureza (Deus) lhes estabeleceu, você deve tomar cuidado para não se deixar dominar por essas personalidades. Uma mistura demasiado freqüente com elas, seja nas multidões ou vida social, pode conduzir à subordinação dos seus objetivos espirituais aos seus propósitos materialistas.

Se você puder ser tão afortunado durante um retiro para encontrar a companhia de alguém dotado de uma vida espiritual mais poderosa que a sua, então o retiro lhe será muito mais proveitoso do que o comum.

Paul Brunton

Nenhum comentário: