quinta-feira, 29 de março de 2007

A Golden Dawn


Hermetic Order of the Golden Dawn (Hermética Ordem da Aurora Dourada) foi criada em 1887. É uma sociedade mágica, cujo objectivo é alcançar a perfeição do espírito e os seus dogmas são uma amálgama muito pessoal de folclore masónico e rituais rosicrucianos e cabalísticos. As origens da Golden Dawn, segundo reza a versão oficial, que quase corteja a lenda, iniciam-se no momento em que Wynn Westcott, um médico legista, e ocultista, pertencente à Maçonaria, descobre um manuscrito antigo num alfarrabista. Intrigado pelo achado, Westcott leva-o consigo e não sendo capaz de o decifrar sozinho decide pedir colaboração a Samuel Liddell MacGregor Mathers. Mathers já tinha reputação de ser um indíviduo excêntrico, que se vestia de lorde escocês, caminhando as ruas de Londres armado até aos dentes, provocando homens na rua, entrando em restaurantes e ameaçando os empregados para sair sem pagar, mas apesar de ser um "poseur" era um brilhante académico e um excelente tradutor, conhecedor profundo da história e miltologia egípcia. Mathers traduz o manuscrito com bastante facilidade e descobre que o fragmento se divide em quatro rituais, obscuros e, de alguma forma, enraízados em folclore rosicruciano. Apresenta a nova informação a Westcott que corrobora as suas suspeitas e, ainda, lhe mostra que, estranhamente, o manuscrito estava endereçado a uma tal Sra. Spriengel. Podia esta mulher ser real? Só havia uma forma de saber: os dois homens escrevem a Sriengler, enviando-lhe uma cópia do manuscrito e explicando a situação. Para surpresa de ambos, a sra. Spriengler responde. Afinal, a mulher era líder de uma sociedade mágica secreta, independente mas inspirada em material rosicruciano, chamada Die Goldene Dammerung. Isto impressiona imenso Westcott e Mathers.
Westcott, apesar de pertencer à maçonaria, era, sobretudo, um pesquisador — um explorador — e viu aqui a oportunidade de iniciar algo novo onde pudesse aplicar as suas descobertas. Mathers, por seu lado, ficou seduzido com a ideia de vir a ser líder de uma sociedade mágica e com a benção posterior de Spiengler os dois homens, com o apoio de um grande amigo de Westcott, o Dr. William Woodman, outro maçón, fundaram o gémeo britânico da Die Goldene Dammerung: a Hermetic Order of the Golden Dawn. A maçonaria não odiava a Golden Dawn mas não a aprovava, já que não seguia as tradições cristãs da maçonaria e rejeitava grande parte dos seus dogmas como folclore desnecessário, apresentando uma nova abertura a outras influências mágicas, como a Cabala. Outra razão, culpada do desentendimento entre as duas sociedades, consistia no facto de que a Golden Dawn admitia mulheres no seu seio e oferecia-lhes lugares de poder. Mulheres como Moina Mathers, esposa de Mathers, e a primeira mulher a filiar-se na sociedade. Florence Farr, actriz de grande beleza, amante de Bernard Shaw, possuidora de forte carácter e que chegou a liderar o templo de Londres durante o período da revolta interna no seio do grupo. Annie Horniman, figura importante no mundo das artes, produtora de teatro no Abbey Theatre de Dublin, encenadora e organizadora de exposições. A Golden Dawn atraiu vários indíviduos do mundo das artes e das letras e entre os seus membros mais ilustres figuravam os escritores Wiiliam Buttler Yeats (que chegou a liderar a sociedade após a expulsão de Mathers), Arthur Machen e Algernon Blackwood; assim como o ocultista Arthur Edward Waite, criador do baralho de Tarot mais famoso do mundo e grande amigo de Arthur Machen.
Woodman morreu pouco tempo após a criação da Golden Dawn, em 1891, o que afectou fortemente Westcott. Quando o médico morreu, Mathers ficou a ser o único líder da sociedade. Em breve, a decadência instalou-se com Mathers a deixar o poder subir-lhe à cabeça e a recrutar novos membros sem quaisquer critérios de qualidade. Os membros mais antigos, confundidos por esta mudança, abandonaram o grupo. Um dos membros que permaneceu foi Aleister Crowley que se encontrava desiludido com a conduta de Mathers e, mais importante ainda, magoado com ele. Crowley sentia-se traído por ter acreditado em Mathers, que encarava, agora, como um "poseur" e um mentiroso. Após uma luta pelo controle da sociedade, numa disputa que tinha como objectivo descobrir quem seria o melhor mago, Crowley e Mathers acabam por ser expulsos por uma aliança dos restantes membros. O feudo de Crowley e de Mathers incluíu vários ataques mágicos: Mathers enviou um vampiro astral atacar Crowley e este ripostou enviando uma legião de demónios da Goetia. Nenhum dos homens ficou incapacitado neste duelo de feiticeiros… Mathers não recebeu nenhuma compensação pelo trabalho que dedicou à sociedade nos anos em que foi filiado, todavia, para atingir o seu adversário, Crowley publica na sua revista, The Equinox, vários textos e rituais da Golden Dawn. Os textos estavam despidos do hermetismo que apertava a sociedade e liam-se com fluidez, apresentando-se compreensíveis para qualquer leitor que não estivesse familiarizado com a magia. No material revelado por Crowley apresentava-se todo o estudo dedicado ao Tarot e à Cabala que Mathers havia escrito no seu Book T. A intenção de Crowley era ferir Mathers, mas a publicação dos textos no The Equinox teve outro efeito.
Encorajou todos os indíviduos que não possuíam calibre para entrar na Golden Dawn, a criar os seus próprios cultos mágicos e seitas. Para eles, o ocultismo estava à venda e o protagonismo à distância de meia dúzia de trocados. Foi o golpe de misericórdia. A Golden Dawn, já dividida interiormente, e privada do seus membros mais valorosos, acabou por falir. No seu período áureo a sociedade continha um dos arquivos mais completos sobre ocultismo ocidental e instruía os seus membros em diversos sistemas mágicos e mitologias: desde a Cabala, mitologia egípcia clássica e os oráculos de Chaldean; os manuscritos de Salomão, Abra-Melin e John Dee; os livros mais proféticos de William Blake; alquimia, geomancia, Tarot e astrologia. A Golden Dawn e o trabalho individual dos seus membros mais criativos são os pais de todo o moderno ocultismo ocidental do século XX e todos os novos grupos e sociedades mágicas, conscientes ou sem o saberem, vão roubar rituais e mito à Golden Dawn; tal como esta se apropriou da Cabala e de folclore rosicruciano.
Hoje, a sociedade mágica continua viva em Oxford, onde se encontra uma sede com o mesmo nome criado por Westcott, Woodman e Mathers; recipiente do seu material original. Existem, também, templos nos EUA; na Flórida, por exemplo, resultado do trabalho iniciado por Francis Israel Regardie, aluno e amigo pessoal de Aleister Crowley.
http://osonhodenewton.crimsonblog.com

Nenhum comentário: